Aceitação – Renata Pinotti

Conversamos com Renata Pinotti. Nutricionista e terapeuta, especialista em Nutrição Hospitalar pelo Instituto Central do Hospital das Clínicas (ICHC – FMUSP). Mestre em Nutrição Humana Aplicada pelo PRONUT-USP. Autora do livro Guia do bebê e da criança com alergia ao leite de vaca.

Renata, diante de toda a sua experiência ao longo dos anos atendendo famílias de crianças com alergia às proteínas do leite de vaca, qual mensagem seria importante a uma família de uma criança recém diagnosticada com alergia alimentar?RP (2)

“A decisão de ter um filho, a gestação e a espera de um bebê é algo que envolve muita expectativa, amor, alegria e , ao mesmo tempo, ansiedade.

Por mais que todos temam, ninguém espera de fato que seu filho tenha alguma enfermidade. Afinal, o que mais se deseja é que a criança nasça com saúde. Portanto, é muito compreensível que os pais fiquem tristes, apreensivos e até se desestabilizem ao perceber que algo não está bem com seu bebê, principalmente quando as queixas envolvem a alimentação, o ganho de peso e o crescimento da criança.

RPEntretanto, quando a família percebe que está agindo baseada nesses sentimentos é muito importante conversar com o médico, com um nutricionista, e com um psicólogo para esclarecer sua dúvidas e sentir-se mais segura com o tratamento, pois o medo e a ansiedade estão diretamente associados ao que é desconhecido.

Ao aprender a lidar com o medo e a culpa, os pais conseguem então aceitar a alergia alimentar de seu bebê. Aceitar significa não resistir. A aceitação faz com que os pais deixem de enxergar apenas as dificuldades e passem a realizar as tarefas e os cuidados com paciência.

Quando os pais aceitam o diagnóstico genuinamente, eles se unem e cuidam juntos um do outro. Nesse momento tudo fica mais fácil, pois é possível raciocinar e agir para cuidar.”